sexta-feira, 27 de maio de 2016

TWITTER – SEGUIDRES SATISFEITOS.
Nas redes sociais, especificamente o Twitter, onde é o lugar preferido pelas maiores personalidades desse planeta, há uma grande disparidade entre seguidores e seguidos.
Segue alguns exemplos para entendermos melhor esse raciocínio:
Se um admirador de certo escritor, cantor ou ator recebe um autógrafo de uma dessas personalidades; esse admirador se sentirá feliz e reconfortado pela atenção e carinho do seu admirado.
No Twitter não acontece isso, porque tem admirador que não dá qualquer atenção ao admirado.
Um bom exemplo para ilustrar esse raciocínio é o presidente Barack Obama.
Ele nunca deixou de reconhecer a sua origem simples e humilde.
Ele não deixou a vaidade e o orgulho tomarem conta de si.
No Twitter ele é seguido por milhões e segue centenas de milhares @BarackObama.
Entretanto, aqueles que deveriam ter bondade, consideração, atenção e carinho para com os seus seguidores, negam essa valiosa e reconfortante atitude.
Não se sabe exatamente se é por inocente descuido, ou de propósito; condenando a si mesmo como sábios, prepotentes, soberbos.
Infelizmente constatamos que a maioria dos líderes religiosos estão no topo dessa lista.
Parece que não sabem o quanto é gratificante para os seus fiéis seguidores receber um pouco de consideração.
Alguém, fruto dessa consideração, pode usar as seguintes expressões:
Sabe quem está me seguindo no Twitter?
Não!
Barack Obama!
Nossa!
Verdade?
Barack Obama não é líder religioso, mas aprendeu a arte da multiplicação!
“Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.” Mateus 25:29.
Nem sempre o bom homem de Deus está no lugar que presumivelmente, nós achamos que deveria estar!
Veja o livro.
https://play.google.com/store/books/details?id=lBImDAAAQBAJ

sábado, 5 de dezembro de 2015


A camuflada briga religiosa.
Alguém ouviu dizer que Deus pediu alguma coisa?
É claro que não!
Deus tudo dá.
Ele é o criador de tudo, tudo doa, nada quer para si.
Deus criou o altruísmo.
Os homens criaram o egoísmo.
O altruísmo liberta; e a felicidade chega a estes que dão bondade, alegria, bênçãos.
“Porque ao que tem, ser-lhe-á dado.” Marcos 4:25.
O egoísmo escraviza; e a infelicidade chega a estes que pedem amor, compreensão, recompensas.
“Ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.” Marcos 4:25.
O egoísmo é tão nefasto que não deixa os chefes religiosos perceberem que estão indo contra a Lei de Deus.
Ao invés de lutar por um só rebanho e um só pastor, estão lutando para dividir, ou seja, cada chefe está lutando egoisticamente para crescer o seu rebanho.
Aos olhos das ovelhinhas inocentes, estes líderes são maravilhosos, mas por dentro estão cheios de egoísmo e outros males da alma.
“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.” Mateus 23:27.
A falta de humildade não permite a estes líderes tomarem consciência que eles não são os donos da verdade, que não são os únicos pescadores de homens para o Reino Celeste.
“Vinde após mim, e eu farei que sejais pescadores de homens.” Marcos 1:17.
“E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue.”
“Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim.” Marcos 9:38, 39.
Estes chefes falam em paz no mundo, mas eles mesmos são os fomentadores de discórdias e desavenças ao se proclamarem os únicos representantes de Deus na Terra.
Houve guerra religiosa no passado, e, atualmente nós assistimos desrespeitos e zombarias (livro, jornal), e atentados à vida.
“Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!” Mateus 18:7.
Por causa dessas desavenças ideológicas, em que cada chefe religioso não tolera o crescimento do outro, estamos passando por estes momentos proféticos.
Deveríamos estar negando o apocalipse de João, mas o estamos confirmando e confirmando as palavras de Jesus em Mateus 24!
Livro profético!






sexta-feira, 27 de novembro de 2015

PARAÍSOS FISCAIS
Mensagem 60.
Os países pobres não dispõem dos chamados “paraísos fiscais” para captar o dinheiro sujo, vindo do tráfico, de organizações criminosas, dos políticos corruptos, para depois, emprestá-lo, como dinheiro limpo.
Assim, estes países pobres tornam-se reféns e escravos do agiotismo dos países ricos.
O dinheiro sujo saiu dos países pobres e depois volta a eles como dinheiro limpo.
Os países pobres perdem duas vezes: primeiro é o dinheiro que sai ilegalmente, e depois é a volta desse dinheiro na forma de empréstimos.
Só o cooperativismo limpo e honesto dos países pobres, na criação de um banco internacional, com recursos próprios para ajuda mútua, é que pode livrá-los de tal situação.
Aliás, o nome mais adequado para tais receptadores seria “infernos fiscais”, pois são eles que sustentam a corrupção neste planeta.
Paraíso só existe um.
Aquele criado por Deus para os espíritos purificados pelo batismo das virtudes.
A corrupção e os paraísos fiscais
Reprodução de capa do Globo (jornal)

domingo, 22 de novembro de 2015

Fim dos tempos - Cristãos versus Muçulmanos.
Essa é uma guerra ideológica (cristãos e muçulmanos), quem vem desde a idade média.
De um lado (atualmente), temos o sarcasmo cristão (versos satânicos – livro) (charges – jornal), provocando a ira dos muçulmanos.
Do outro lado, temos os muçulmanos se sentindo ofendidos e marginalizados.
"Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra.
Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça.
Mas ainda não será o fim.
Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares.
Tudo isto será apenas o início das dores.
Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações.
Muitos sucumbirão, trair-se-ão mutuamente e mutuamente se odiarão." Mateus 24:6-10.
Veja o livro profético!
O HOMEM DE DEUS

terça-feira, 14 de abril de 2015

NOVA CONSTITUIÇÃO - NOVO BRASIL
Para se ter um verdadeiro controle do dinheiro que o cidadão paga em impostos, as cidades devem transformar-se em cidades-países.
Pelo menos no que se refere à gestão das finanças e orçamentos.
Desse modo, tudo que se refere a arrecadação, até mesmo imposto de renda, que era atribuição dos estados e governo federal, passa a ser atribuição dos municípios.
Ao invés dos estados, e governo federal, repassarem a arrecadação, o repasse será feito de maneira inversa.
Será o município que repassará aos estados e ao governo federal.
Nesta inversão, a força será de baixo para cima, praticamente fechando as torneiras da corrupção.
Numa época em que a tecnologia está tão avançada, não se justifica mais o modelo antigo, principalmente em países de grandes extensões territoriais como o Brasil.
Onde os chefões dos três poderes se juntam para praticar atos não muito dignos.
Talvez, seja preciso de uma nova constituição para se estabelecerem regras e parâmetros.
Cada município estará inserido numa rede nacional de computadores, juntamente com os estados e governo federal.
Os municípios terão que apresentar balancete mensal com os dados da arrecadação.
Os governos estadual e federal terão plenos poderes para intervir nos municípios que descumprirem as regras, ou apresentarem problemas de corrupção.
Os habitantes das cidades terão acesso a toda movimentação financeira, assim como a imprensa local.
Estes serão os primeiros a desconfiar e denunciar se alguma coisa não estiver indo bem.
Amplos estudos devem ser feitos, para que, um município que tenha grandes fontes de arrecadação, e outro relativamente pobre, destinem os repasses de forma equilibrada e justa.
A equivalência deve ser bem estudada.


sexta-feira, 5 de julho de 2013


O Brasil sob a influência do imperialismo.
(Ficção ou fato histórico. O que aqui está é apenas uma opinião e não representa a verdade.)
Para Roma crescer como império, precisou usar a força militar, a influência diplomática e meios coercitivos em povos e nações.
O imperialismo americano nasceu primeiro de uma constituição de estados independentes irmanados num poder central.
Ou seja, dezenas de estados contribuindo para um poder central grandioso.
Sendo que no Brasil e demais nações latinas tudo teve início com um poder central forte, autoritário, usando a força da subjugação e dominação das massas populares com "guloseimas culturais" através de crendices, festejos, folclores e tantas outras ficções imaginativas.
Sendo que, hoje dispomos do audio-visual-eletrônico para levar as "guloseimas culturais" até os lares, com seus ídolos e fantasias de alucinação; ficando claro que devemos rogar ao SENHOR que nos envie urgentemente outro Moisés, pois que os bezerros de ouro estão se multiplicando com outras roupagens, mas com o mesmo efeito maléfico, qual seja, nos desviar da nossa conexão com o PAI.
Pai que mandou seu filho muitíssimo evoluído para cuidar da evolução de todos os seus outros filhos, para que nenhum fique perdido nos labirintos da ignorância (pecado, erro, ilusão, diabo, satanás, demônio, ego, egocentrismo).
Enfim, várias versões para o mesmo significado: "ignorância".
Essa que é a mãe de todas as dores, sejam elas físicas, emocionais, mentais.
Isso, sem contar com a cobrança de taxas e impostos para que o governante central e seus apadrinhados pudessem desfrutar do bom e do melhor, devolvendo muito pouco em benefícios.
Esse sistema de governo central não deixou que o Brasil deslanchasse, assim como outros países que tiveram o mesmo modelo.
A América não precisou usar a força militar para ir além de suas fronteiras como a antiga Roma.
Os criadores da primeira e segunda guerra se encarregaram de fazer isso para a América, pois ao se autodestruírem, permitiram que a América crescesse em grandes proporções para lhes fornecer o que eles tolamente perderam em 3 e 6 anos de autodestruição.
Aí sim, teve início a dominação do império americano.
E para continuar se expandindo, esse império precisava de outras terras, outros países que proporcionasse matéria prima e mão de obra baratinha.
Ditaduras e governos na mão de um único soberano sempre foi um empecilho para os americanos, a não ser que democraticamente seguissem suas orientações.
A investida americana no Brasil sempre esbarrou no nacionalismo ferrenho de Getúlio Vargas.
Porem, depois do tumulto da segunda guerra, Getúlio voltou ao poder, e os americanos continuaram na ofensiva, mas, diante da resistência de Getúlio, só restou aos americanos usar o "poder sutil", ou seja, a influência em vários setores da sociedade civil e militar para conseguir os objetivos.
Diante de tanta pressão, Getúlio sucumbiu.
Daí, arrumaram um jeito de levar Juscelino ao poder, o qual, seguiu fielmente a cartilha americana.
Logo em seguida veio Jânio, que travou certos relacionamentos, que de forma alguma estavam agradando aos americanos, pois poderia pôr tudo a perder, em plena guerra fria.
Diante de tanta pressão do império e de gente ligada aos poderes da nossa república, Jânio sentiu a força da opressão, ao que ele chamou de: "forças ocultas", tão ocultas que ele preferiu guardar só para si e levar para o túmulo.
João Goulart também não era de confiança dos americanos, e aí deu no que deu.
Como os americanos tinham investido tanto capital nas instalações das indústrias e empréstimos, necessário se fazia ter uma garantia forte e saudável.
Assim, nasceu a ditadura militar, que inclusive teve até boa aceitação popular, graças à uma poderosa cobertura de marketing de um veículo de comunicação que veio de fora para dar suporte à ditadura.
Mas, para tanto, precisou driblar as leis brasileiras, tendo um testa de ferro supostamente à frente dos negócios, para assim se estabelecer definitivamente no país.
Mas é preciso ter perspicácia e mente aguçada para saber de onde veio e como operou.
No Chile, Argentina e outros países ocorreram fatos semelhantes.
Os americanos abominam qualquer ditadura ou governo autoritário que sejam contrários aos seus interesses, assim como povos de regras e costumes rígidos, que não estejam dispostos a aceitarem o consumismo devastador.
Embora com seus dias contados, essa Águia faminta continua sendo a maior exportadora de "guloseimas culturais", guloseimas que estão desviando as ovelhinhas a caírem nos vales profundos, sombrios, frios, de lamas fétidas, onde o "pranto e ranger de dentes" é uma constante.
A hora é agora, o exame final para se saber quem é da luz e quem é das trevas.
Aí, aprenderemos definitivamente o que seja ética, moral, bons modos, bons costumes.
Valores de que a sociedade está tão carente.
O que não deveria ser nenhuma novidade, pois foi isso que Jesus Cristo e os profetas de Deus deixaram para nossa evolução.
Mas, como alunos teimosos, negligenciamos tais condutas o tempo todo.
Se um veículo de comunicação monopoliza a maioria dos mortais desse país, e, um alguém aparece com frequência nos horários nobres, como garoto propaganda; não fica difícil o entendimento de que, esse garoto propaganda tenha elevados índices de aprovação, tal qual o veículo que o patrocina!
E, de mais a mais, os outros veículos pensam:
Se afrontarmos o veículo que é querido e idolatrado pelo povo, podemos ficar desacreditados.
Então, o melhor mesmo é, nos conformar com a situação, e, até, querendo, ou não, darmos suporte às suas iniciativas, para que assim, tenhamos também o pão de cada dia, nem que esse pão tenha sido assado nas fornalhas do inferno!
Por enquanto o capitalismo é um mal necessário em que os mais poderosos oprimem e fazem sofrer os desprovidos de recursos culturais e financeiros.
Mas no futuro a divisão desses recursos será igual para todos.
No mundo divino não existe este capitalismo gerador de desigualdades e sofrimentos.
Quando esse capitalismo deixar de existir aí haverá o "Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei."
Os bens culturais e materiais precisam ser divididos em perfeita igualdade para que a perfeita felicidade seja uma realidade em nosso planeta.
Você que acabou de ler essas fantasias alucinativas não é obrigado a acreditar nelas.
É apenas o direito da livre expressão, que é facultada a todo cidadão, desde que respeitando as instituições.
27.09.2009